Procurador afirma que não há provas de contas de Lula e Dilma no exterior

Por Letícia Valadares

O Procurador da República no Distrito federal, Ivan Cláudio Marx, afirmou na última sexta-feira (11), que o dono da JBS, Joesley Batista, não apresentou provas de que os ex-presidentes Luís Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff foram beneficiários ou sabiam de contas no exterior. O empresário havia afirmado que a JBS depositou US$ 150 milhões para o uso de campanhas eleitorais.

De acordo com Marx, que está investigando o caso em primeira instância, faltam evidencias sobre o envolvimento dos petistas nos crimes delatados. “É uma história que ele (Joesley) contou que pode ser verdade ou mentira, mas é insuscetível (inalcançável) de prova”, afirma o procurador.

O procurador alega que ouviu o empresário em Junho e pediu que ele apresentasse documentos que pudessem atestar o envolvimento dos ex-presidentes no suposto esquema, mas nada foi apresentado.

Em nota, a JBS informou que “a despeito do grande número de informações e provas já entregues”, e o compartilhamento de documentos e informações complementares entre a PGR e demais ofícios do Ministério Público Federal estão sendo tratados “dentro dos trâmites legais”.

*Sob Supervisão de Lucas Lyra. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *