Gilmar Mendes defende semipresidencialismo

Por Lucas Lyra

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal e presidente do Superior Tribunal Eleitoral, Gilmar Mendes, defendeu o semipresidencialismo como sistema de governo para o Brasil na tarde desta segunda-feira (21).

Mendes fez um retrospecto chamando atenção para o fato que desde a redemocratização, somente dois presidentes terminaram seus mandatos.  “Temos que fazer reformas mais profundas”, disse.

“Adaptar e adotar um semipresidencialismo. A mim me parece que seria um bom passo para o Brasil para nos blindar de um sistema de crises que se repetem”, declarou Mendes.

“Deixaria essa proposta para análise, que nós pensássemos, senão em 2018, para 2022, em um regime que efetivasse o que ocorre na prática e sistematizasse uma blindagem, separasse as crises de governo das crises de estado”, disse.

Semipresidencialismo

Semipresidencialismo é um sistema de governo que une o parlamentarismo ao presidencialismo. No sistema, um Primeiro Ministro faz o intermédio entre o chefe do Executivo e o Congresso Nacional. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP) publicou um artigo este mês onde também defende a ideia. “É tempo para que se verifique a viabilidade, como proposto pela OAB e por vários parlamentares, de instituir um regime semiparlamentarista, com uma Presidência forte e equilibradora, mas não gerencial”, escreveu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *