Líder do governo na Câmara diz que reforma política pode não ser votada

Por Letícia Valadares

O deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), líder do governo na Câmara dos Deputados, disse nesta quarta-feira (30), que a aprovação da reforma política pode não acontecer devido a falta de acordo entre os deputados diante das propostas.

Segundo ele a votação não deve acontecer nesta quarta, por falta de acordo em torno de nenhuma das duas propostas que tramitam na Casa. “Em se tratando de um parlamento com a quantidade de partidos que nós temos, com tendências ideológicas as mais diversas, portanto, com interesses diversos, é possível que, se não houver um entendimento mínimo, ninguém terá votos para aprovar PEC”, disse

As principais propostas que tramitam em plenário sugerindo mudanças no sistema eleitoral são da deputada Shéridan (PSBD-RR): que prevê o fim das coligações e institui uma cláusula de barreira aos partidos, e do deputado Vidente Cândido (PT-SP): que propõe a criação de um fundo para financiamento de campanhas, além de criar o chamado “distritão” para as eleições de 2018 e 2020.

Para a aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição, é necessário 308 votos dos 513 deputados, ou seja, 3/4 dos votos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *