Janot apresenta mais uma denúncia contra Temer

Por Lucas Lyra

 

Como esperado, o procurador geral da República, Rodrigo Janot, em seu penúltimo dia no cargo, apresentou mais uma denúncia contra o presidente Michel Temer. Desta vez, o procurador utilizou informações obtidas através da delação do doleiro Lucio Funaro para embasar a denúncia.

Desta vez, Janot acusa Temer de obstrução da justiça e organização criminosa, no caso chamado de “quadrilhão do PMDB” na Câmara.

Ironia

Talvez por ironia, já que a cada defesa pública que Temer faz, cita a Constituição, Janot utilizou uma citação de Ulysses Guimarães, maior expoente histórico do PMDB e presidente da Assembleia Constituinte quando da aprovação da chamada “Constituição Cidadã”.

Janot escolheu uma famosa fala de “Dr. Ulysses”, como era chamado entre os pares, como epígrafe da denúncia: “o poder não corrompe o homem; é o homem que corrompe o poder. O homem é o grande poluidor, da natureza, do próprio homem, do poder. Se o poder fosse corruptor, seria maldito e proscrito, o que acarretaria a anarquia”.

Ulysses ficou marcado como um símbolo de resistência e luta contra a ditadura e morreu em um polêmico acidente de helicóptero em 1992.

A denúncia deve seguir o mesmo trâmite daquela rejeitada pela Câmara no dia 2 de agosto, quando Janot denunciou Temer por corrupção passiva. Primeiro, deve ser aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e depois pelo plenário da Casa, e só então, seria analisada pelo Supremo Tribunal Federal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *