Maia fala de “incêndio fiscal” e reconhece dificuldades da Reforma

Por Gabriela Mestre

Com supervisão de Lucas Lyra

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assumiu nessa quinta-feira (28) os empecilhos para aprovação da Reforma da Previdência no Congresso. De acordo com ele, o gasto com a União da Previdência exige que reformas sejam feitas para combater o que ele considerou como “incêndio fiscal”, mas o histórico das votações de reformas evidencia que há pouco suporte no colegiado.

Segundo Maia, “todas as reformas estão sendo menores do que a gente gostaria, e a Previdência já é menor do que o governo gostaria”. Para o deputado, caso a reforma não aconteça, investimentos no país poderão ser inviabilizados, uma vez que o país já testemunha um “incêndio” de gastos obrigatórios da União.

A proposta foi feita pelo governo federal em dezembro de 2016, a qual prevê mudanças na aposentadoria dos trabalhadores brasileiros, fomentou amplos debates não apenas no Congresso, mas na sociedade em geral que preza pelos seus direitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *