PGR pede a quebra de sigilo bancário e fiscal para Aécio Neves

Por Letícia Valadares

A procuradoria-geral da República (PGR), pediu a quebra dos sigilos bancários e fiscal do Senador Aécio Neves (PSDB-MG), ao Supremo Tribunal Federal (STF), no inquérito em que ele foi acusado de corrupção passiva e obstrução da Justiça a partir das delações premiadas do grupo J & F.

A quebra de sigilo foi pleiteada em maio, pelo ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot , pouco antes do senador ser denunciado em junho pelos crimes em questão, onde teria recebido R$ 2 milhões da JBS com intenção – conforme as acusação – de ajudar a empresa no Congresso. Aécio nega as acusasões.

O pedido está sob segredo de Justiça e inclui ainda, outras pessoas e empresas ligadas a Aécio.  Não há detalhes do período da quebra de sigilo. O ministro Marco Aurélio Mello, relator do caso, está analisando o caso.

De acordo com a decisão de Marco Aurélio, no dia 28 de setembro, a ação cautelar com o pedido de quebra de sigilo “encontra-se protegida por segredo de justiça, sem prolação de decisão”. O ministro concedeu acesso à defesa de Aécio aos dados do pedido da Procuradoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *