Ministros do STF acumulam dez pedidos de impeachment por ano

Por Gabriela Mestre

Com supervisão de Lucas Lyra

Nos últimos dois anos, o Supremo Tribunal Federal recebeu vinte pedidos de impeachmeant. Dos onze ministros, apenas três não estão na lista dos indicados, incluindo a atual presidente do STF, Cármen Lúcia. Nessa segunda-feira (9), o Supremo negou a análise do pedido de impeachmeant contra Gilmar Mendes, arquivado pelo ex-presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB) no ano passado.

Gilmar Mendes está no topo da lista, com oito pedidos de impeachment, seguido por Ricardo Lewandowski, Luís Roberto Barroso e Dias Tofolli, cada qual detentor de metade da somatória de Gilmar. Além de Cármen Lúcia, ficaram isentos Celso de Mello e Alexandre de Moraes. Diferentemente do pedido de impedimento de um presidente, no caso de ministros do STF essas petições devem ser encaminhadas ao Senado Federal, hoje presidido por Eunício de Oliveira (PMDB).

Como prevê a Constituição Federal, todos os cidadãos têm o direito de solicitar o impeachment de um ministro do STF. No caso de Gilmar Mendes, que teve sua análise de pedido julgada – e negada – pelo Supremo no começo do mês de outubro, o responsável pelo desarquivamento de Calheiros foi um grupo de advogados, pautados na acusação de crime de responsabilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *