Temer admite ‘faxina’ ministerial com pressão da base aliada

Por Gabriela Mestre

Com supervisão de Lucas Lyra

O presidente Michel Temer (PSDB) confirmou nessa quinta-feira (9) que fará reforma ministerial inevitavelmente. As mudanças estão de acordo com as concepções da base aliada, que só acredita na aprovação da reforma da Previdência com uma nova organização no governo.

Um café da manhã na residência do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi decisivo para que a base definisse sua posição de que só haverá Reforma da Previdência com alterações ministeriais. A reunião tinha o objetivo de discutir o novo texto da proposta.

Com firmeza, o presidente tratou a reforma como “inevitável” e afirmou que saberá “o momento certo de fazê-la”. Uma vez que decidir sobre a Previdência é foco do governo para este ano, Temer conta com menos de dois meses para realizar a “faxina”.

O próprio presidente da Câmara admitiu a resistência dos parlamentares ao tema e vê o andamento das últimas duas denúncias contra o presidente Temer como motivo de desgaste. Maia é um dos apoiadores da reforma da Previdência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *