Fux arquiva denúncia contra Pedro Taques

Por Lucas Lyra

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, decidiu arquivar uma investigação por possível prática de “caixa dois” durante as últimas eleições contra o governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB).

A investigação é originária na delação premiada de Pedro Nadaf, ex-secretário estadual de Comércio, Minas e Energia da gestão de Taques, homologada em outubro pelo próprio ministro Luiz Fux. No documento, Nadaf acusa o governador de ter recebido dinheiro não declarado de campanha do ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, preso em 2014 acusado de liderar esquema de propina em troca da concessão de benefícios fiscais.

Nadaf relatou um encontro entre Silval e Taques, após o qual o ex-governador teria lhe informado o compromisso de auxiliar financeiramente a campanha do atual governador.  Segundo ele, Taques teria pedido R$ 10 milhões ao ex-governador.

Porém, o próprio Nadaf disse em seu depoimento que Taques acabou não aceitando o dinheiro. “Pedro Taques venceu a eleição e Silval Barbosa  pediu ao declarante que procurasse Alan Malouf  e informasse que Silval Barbosa ajudaria com a quantidade de R$ 5 milhões de reais; Alan malouf trouxe um recado de Pedro Taques dizendo que este último não tinha  mais interesse com ajuda financeira por parte de Silval Barbosa”, afirmou.

O próprio chefe da Procuradoria Geral da República (PGR) à época, Rodrigo Janot, chegou a se manifestar contra a abertura de um inquérito contra Pedro Taques, pois os possíveis crimes nunca chegaram a se concretizar.

Fux acabou acolhendo um pedido feito pelo próprio Rodrigo Janot no dia 29 de maio, onde o ex procurador afirmou: “os fatos narrados são manifestamente atípicos, pois o eventual delito de falsidade ideológíca (“caixa-dois”) (CE, art. 350), não ultrapassou a fase de cogitação”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *