Operação Malebolge em MT descortina drogas, joias e munições

Por Gabriela Mestre

Com supervisão de Lucas Lyra

A Polícia Federal encontrou drogas, joias e munições com buscas e apreensões nas casas de deputados estaduais em Mato Grosso. Os oficiais atuam em nome da Operação Malebolge, fundamentada nas delações do ex-governador do estado, Silval Barbosa (PMDB) e deflagrada por ordem do ministro Luiz Fux do Supremo Tribunal Federal.

Ao todo, sete deputados são investigados. Vídeos divulgados em rede nacional denunciaram o pagamento de propina apelidado de “mensalinho” no gabinete de Silval aos deputados, que recebiam maços de dinheiro. Um deles, José Domingos Fraga (PSD), carregou seu pagamento em caixas de papelão. Nas buscas da PM na residência de Fraga, foram encontrados ecstasy, jóias e um pó branco a ser analisado pela perícia.

Além dele, Wagner Ramos (PSD), Silvano Amaral (PMDB), Baiano Filho (PSDB), Romoaldo Júnior (PMDB), Oscar Bezerra (PSB) e Gilmar Fabris (PSD) são os nomes suspeitos. Também os bens do ex-deputado estadual, Airton Rondina (PSD), foram investigados, o que revelou uma arma e cinquenta cartuchos de munição. Pela Operação, conjuntamente foram encontrados R$ 40 mil no armário do conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado.

A Operação foi deflagrada no dia 14 de setembro em Mato Grosso, São Paulo e Brasília, ganhando repercussão pelo “mensalinho” pago por Silval aos deputados em prol de votos e silêncio nas denúncias. Malebolge tem origem na obra “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri, que assim nomeia a parte do inferno para onde iriam os corruptos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *