Temer recebe Evo Morales e discursa sobre ‘terrorismo inadequado’ da Reforma da Previdência

Por Gabriela Mestre

Com supervisão de Lucas Lyra

O presidente Michel Temer (PMDB) recebeu o presidente boliviano Evo Morales no Palácio do Planalto, nessa terça-feira (5). Os representantes assinaram dois acordos entre os países e, em discurso durante um almoço oferecido a Morales, Temer se manifestou sobre a Reforma da Previdência, defendendo que o clima de opinião no país é um “terrorismo inadequado”.

Os acordos definiram uma cooperação policial entre Brasil e Bolívia a fim de combater crimes organizados transnacionais, como lavagem de dinheiro, roubos e tráfico de drogas, pessoas e armas. Além da área de segurança, atenderam questões de translado: os ministérios dos Transportes do Brasil e o de Obras Públicas da Bolívia assinaram um memorando que compreende o corredor ferroviário bioceânico, incrementando o tráfego entre os países.

O pronunciamento de Temer sobre a Reforma foi feito no Palácio do Itamaraty, onde Temer ofereceu um almoço ao presidente da Bolívia e a ministros dos dois países. O peemedebista considerou oportuno dar explicações acerca da Reforma da Previdência, almejada pelo líder do Congresso desde o início do ano. Ao reafirmar o ponto central da proposta, que é o aumento da idade mínima para a aposentadoria, Temer anunciou: “De vez em quando espalham: ‘olha, vão tomar a sua aposentadoria’. É um terrorismo inadequado”.

A conhecida impopularidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) é um dos motivos para que ela ainda não tenha sido votada na Câmara dos Deputados. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assim como Temer, afirma que a votação só acontecerá quando a maioria no plenário se manifestar a favor da PEC. Para que ela seja aprovada, é necessário que 308 dos 513 parlamentares sejam favoráveis à mudança.

Nessa terça-feira, o líder do PMDB disse que o partido tem maioria apoiando a Reforma, e Temer deve reunir a sigla para fechar questão.  Rodrigo Maia tem a expectativa de que durante a semana, os votos necessários para a aprovação sejam conquistados para que a proposta vá ao Plenário ainda em dezembro.

O encontro entre Michel Temer e Evo Morales já havia sido prorrogado por duas vezes devido a complicações na saúde do presidente brasileiro. Em outubro, ele foi submetido a uma cirurgia na próstata e, no mês seguinte, a uma angioplastia de três artérias coronárias. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, Morales ainda visa acordos em outras temáticas bilaterais, como energia, desenvolvimento das fronteiras e comércio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *