A saúde do presidente Michel Temer é um dos temas da coluna de hoje. Confira

Agrava a saúde de Michel Temer

O presidente Michel Temer, que teve sua saúde agravada neste final de ano, passará a ter muitas restrições durante os próximos três meses, período pelo qual passará por alguns procedimentos médicos para conter a infecção urinária que o acometeu. A infecção foi causada por uma bactéria e resistente e Temer está tomando antibióticos. O presidente tem 77 anos e seu estado pode se tornar delicado caso não siga à risca as recomendações médicas, o que não o fez no últimos meses, quando passou por duas cirurgias para desobstrução da próstata e da ureta. Temer não obedeceu a expressa recomendação de repouso. Daí o agravamento de seu quadro.

Presidente terá intervenção semanal

Por conta da infecção, o quadro de obstrução urinária se agravou e por esta razão o presidente Temer terá que passar por sessões semanais desobstruir a uretra. O processo, que pode ser feito em casa mesmo, é na verdade uma dilatação do canal urinário. Há três semanais o presidente mantinha o uso de uma sonda, a qual foi retirada antes do Natal, mas que pode ser colocada novamente.

Intensa rotina talvez não cesse

Se a intensa rotina de trabalho agravou o quadro de saúde de Temer, é pouco provável que ele cesse pelas próximas semanas. Eu conversei com um dos assessores mais próximos do presidente e ele me disse que será difícil conter seu ritmo. Isto porque Temer está obstinado com a aprovação da reforma da Previdência. “Ele pode até reduzir um pouco, mas manterá as articulações visando a aprovação da reforma”, me disse o assessor.

Espera-se a aprovação daqui a 50 dias  

Falando em reforma da Previdência, dia 20 de fevereiro, logo após a volta do recesso parlamentar, o Palácio do Planalto espera ir à votação e aprovação a proposta que tramita na Câmara dos Deputados, que deve ser apreciada em dois turnos. Só então é que ela irá tramitar no Senado. Pelas contas do governo, o número ideal de votos assegurados para colocar em votação está longe. Para a aprovação são necessários 308 votos. Mas o governo só colocar a proposta para votar se tiver a garantia de ao menos 330 deputados favoráveis. Está longe disso.

Maia está confiante

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, parece estar confiante com a aprovação no dia 20 de fevereiro. “Vamos trabalhar e explicar com calma para o trabalhador. É só prestar atenção: quem ganha um salário mínimo no Brasil se aposenta com 65 anos. Quem ganha R$ 20 mil a R$ 30 mil se aposenta com 55 anos. A gente quer acabar com essa distorção. Não queremos tirar um real de ninguém, não queremos tirar a aposentadoria de ninguém. Mas não é justo o trabalhador brasileiro financiar a aposentadoria dos que ganham mais no serviço público e dos que ganham mais também no regime geral, porque esses são os que aposentam mais jovens”, afirmou.

Brasil tem a segunda pior conectividade nas escolas

Um estudo organizado pelo Iede (Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional), com base em dados do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) de 2015, mostra que o Brasil tem a segunda pior conectividade nas escolas entre os países que participaram do levantamento. Segundo a análise, 28,3% dos estudantes do Brasil afirmaram que têm acesso a computadores com internet nas escolas. A porcentagem perde apenas para a República Dominicana, com 28,18%. A média de conexão dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), é de 55,9%.

PT aconselha Lula a se reaproximar do empresariado

Acreditando que o ex-presidente Lula está muito radical em suas pregações Brasil afora, dirigentes do PT estão aconselhando ele a se aproximar mais do empresariado. O objetivo é angariar apoios com vistas 2018. Esses dirigentes acreditam que é necessário um pacto com a elite nacional para assegurar a Lula chances de ser eleito e, se eleito, governar.

Condenação pode ser unânime

Segundo vários analistas políticos, que este início de ano estão focados em estudar as possibilidades de Lula no julgamento do recurso no TRF4, contra sua condenação pelo juiz Sérgio Moro, se o ex-presidente for condenado em segunda instância, suas chances de continuar no páreo já era. Explicando: a condenação por unanimidade impede novo recurso ainda no TR4. Assim a condenação na segunda instância pode até resultar em prisão imediata. Portanto, para continuar na disputa eleitoral e não ser preso, Lula tem que ter ao menos um voto a seu favor.

Huck pode mesmo voltar

Depois de desistir duas vezes de entrar no páreo pela Presidência da República, o apresentador de TV Luciano Huck acena novamente com a possibilidade de lançar sua pré-candidatura. Pouco antes da virada do ano, Huck pediu ao Ibope que seu nome não fosse excluído das pesquisas eleitorais. Ao mesmo tempo, alguns jornalistas dos veículos do grupo Globo voltaram a cogitar o nome dele.

Problema é encontrar um nome de ‘centro’

Como já dissemos aqui na coluna anteriormente, o problema é se encontrar um candidato de “centro”, ou seja, que se coloque como alternativa contra o esquerdista Lula e o direitista Jair Bolsonaro. Este nome, ano menos com competitividade eleitoral, ainda não surgiu. O prefeito de São Paulo, João Dória, o governador paulista Geraldo Alckmin e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, são os nomes mais simpáticos ao espectro político de centro e centro-direita. Mas patinam nas pesquisas e ainda não empolgaram ninguém: nem o povão e nem o empresariado.

Frase do Dia

“Do ponto de vista do país, é sempre ruim. É ruim para o país e para a memória, mas não acredito que a população vai tremer nas suas bases por causa disso. Não acho que o país vai tremer em função disso. É claro que existe também uma estratégia política do PT: a perseguição. Se o julgamento terminar em condenação, tem que aceitar”.

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Um comentário em “A saúde do presidente Michel Temer é um dos temas da coluna de hoje. Confira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *