Em repouso no Jaburu, Temer se recupera de infecção urinária

Da Redação

Segundo assessores presidenciais, o presidente Michel Temer  tem recuperado bem  e pelos próximos dois ou três meses, ele manterá semanais para a dilatação da uretra (em ambulatório ou em casa) como forma de reduzir o risco de novas obstruções do canal condutor da urina.
Há cinco dias, o presidente apresentou febre, e exames de sangue e de urina revelaram a presença de infecção urinária, apesar de ele tomar um antibiótico indicado a pacientes que usam sonda na bexiga. No caso de Temer, o dispositivo foi colocado em 13 de dezembro, após cirurgia de desobstrução do canal urinário, e retirado no sábado (30).
Segundo o urologista Miguel Srougi, um dos médicos que o acompanham em São Paulo, a febre logo cedeu com a introdução de um novo antibiótico, e os exames já estão normalizados. “Ele está urinando muito bem, de maneira espontânea, sem qualquer sintoma local ou sangramento”, explicou o médico.
De acordo com Srougi, a sonda colocada na última intervenção cirúrgica em São Paulo deveria permanecer na bexiga por três semanas, medida adotada rotineiramente para se reduzir os riscos de reincidência. Mas, devido à infecção, o aparelho foi retirado antes do esperado. “Um pouco antes do momento ideal, mas provavelmente suficiente para reduzir de forma significativa a recorrência do estreitamento”, diz Srougi.
Por recomendação médica, Temer permaneceu os últimos dias em repouso absoluto no Palácio do Jaburu, onde passou a virada do ano com a família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *