DINHEIRO PÚBLICO: Bolsonaro confirma que abrirá a caixa-preta do BNDES na primeira semana de seu governo. Confira outras informações na coluna JPM desta quinta-feira (8)

ALERTA

Vem bomba por ai. Abrir a “caixa preta” do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), é uma das determinações do  presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) que está empenhado em revelar ao povo brasileiro o que é feito com seu dinheiro nos últimos anos. Ele sinaliza um dos focos do juiz Sérgio Moro no superministério da Justiça: mostrar o que foi feito com o dinheiro público nos contratos realizados por essa instituição, sobretudo os firmados nos governos petistas de Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma Rousseff.

 

 

PACTO FEDERATIVO

Brasília sediará uma reunião entre os 27 governadores eleitos e o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, na próxima quarta-feira (14). A expectativa é no sentido de que o futuro ministro da Fazenda possa apresentar o projeto do pacto federativo e os governadores expressarem alguns de seus pontos de preocupação no plano econômico”, O governador de Brasília (Ibaneis Rocha) será o anfitrião.O encontro será das 9h às 14h no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB). “Bolsonaro provavelmente estará presente no encerramento desse encontro.

AUMENTO JUSTO

Em uma reunião com presidentes de tribunais de Justiça (TJs), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, afirmou nesta quinta-feira (8)que o reajuste aos magistrados da Suprema Corte, aprovado no dia anterior pelo Senado, é “justo e correto”.

 

 

 

ARTICULAÇÃO

De forma rápida e articulada, os senadores aprovaram um aumento nos vencimentos dos ministros do Supremo, que, se sancionado pelo presidente da República, elevará os subsídios mensais de R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil, aumento de 16%.

PONDERAÇÕES DE HELENO

O general da reserva Augusto Heleno Ribeiro, que chefiará o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) de Jair Bolsonaro, fez ponderações sobre a aprovação do reajuste do Judiciário e disse que “não é derrota, é preocupação, até pelos gastos que foram anunciados, mas isso tem que ser muito bem estudado, avaliado, principalmente pelo doutor Paulo Guedes”.

SENADOR NA MIRA DA PF

Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira, 8, a Operação Armistício, a primeira fase ostensiva da investigação sobre um suposto pagamento de R$ 4 milhões ao senador Romero Jucá (MDB-RR), em 2012, por parte do Grupo Odebrecht, como contrapartida à atuação do parlamentar para a edição de uma resolução no Senado destinada a restringir a “guerra dos Portos”, de interesse da Braskem, braço petroquímico do grupo.

 

MAIS MINISTERIÁVEIS

Os embaixadores Luís Fernando de Andrade Serra, que até meados do ano chefiava a representação do Brasil na Coreia do Sul, e José Alfredo Graça Lima, ex-subsecretário de Assuntos Econômicos, são cotados para ocupar o posto de ministro das Relações Exteriores, segundo fonte da equipe de transição.

MAGGI ELOGIA TEREZA

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, engrossou a lista de lideranças rurais que comemoram a escolha da deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS) para assumir a pasta no governo de Jair Bolsonaro. Em breve mensagem enviada na escala em Dubai (Emirados Árabes), na viagem de retorno da China ao Brasil, Maggi disse ter ficado “muito feliz” com a opção pela parlamentar para sucedê-lo. Ele afirmou que a deputada é uma pessoa conectada ao setor e que ela fará uma grande gestão. “Tereza é uma pessoa ligada ao agro, sempre esteve presente no dia a dia do Ministério. Ela, com certeza, fará uma grande gestão e o agro ainda muito maior e mais importante”, relatou o ministro.

VISÃO

A futura ministra da Agricultura, deputada Tereza Cristina (DEM), presidente da Frente Parlamentar do Agronegócio (FPA), está cobrando  celeridade na escolha do ministro que irá comandar as Relações Exteriores. Segundo ela, os dois ministérios precisam atuar juntos em defesa dos produtores.

INDEPENDÊNCIA DO BC

A equipe de transição do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro negocia para tentar assegurar a autonomia do Banco Central. O economista Paulo Guedes, que assumirá o superministério da Economia – que reunirá Fazenda, Planejamento e Indústria, Comércio Exterior e Serviços -, disse que a estabilidade da moeda é que impulsiona a organização da produção do país e a manutenção do poder de compra da moeda, processo atrelado à independência do BC.

DEFESA DE ILAN

Assim como Guedes, o atual presidente do BC, Ilan Goldfajn, defende a independência da instituição. Porém, a equipe de Bolsonaro ainda aguarda uma definição de Goldfajn sobre sua permanência no cargo. Para Guedes, o natural é ele continuar.Há ainda outros nomes também cotados para assumir o BC, como Roberto Campos Neto, Afonso Bevilaqua, Mário Mesquita, Beny Parnes e o atual diretor de de Política Econômica do banco, Carlos Viana.

Dilma é eleita a líder mais decepcionante do mundo pela revista Fortune

A revista americana Fortune fez uma votação em seu site para eleger os “líderes mais decepcionantes do mundo” e a presidente brasileira Dilma Rousseff ganhou com facilidade o pleito encerrado na quinta-feira (7). A líder petista encerrou com 374 mil votos, contra 17 mil do segundo colocado, o governador de Michigan, Rick Snyder. A brasileira está na liderança desde o início da votação.

 

FRASE DO DIA

“Não estamos aqui fazendo pautas bombas para qualquer outro governo”, afirmou o  presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), na manhã desta quinta-feira, 8, para se defender e negar que a Casa seja responsável pela aprovação das chamadas “pautas bombas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *