Na reta final da disputa na Câmara, Maia consolida apoios

 

A três dias da eleição, o líder do PP na Câmara, Arthur Lira (AL), desistiu de concorrer à presidência da Casa, o que deve beneficiar Rodrigo Maia (DEM-RJ), candidato à reeleição. Com isso, Maia poderá ter ao seu lado 15 partidos liderados pelo PSL, que totalizam mais de 300 deputados.

Aliados dão como certa a recondução e falam em vitória em primeiro turno, mesmo prevendo uma margem de “traição” dentro destas legendas.

Depois de conversas com líderes do MDB e do PTB, além do próprio Maia, Lira anunciou sua decisão. “Diante das dificuldades de construirmos um bloco com partidos de centro-esquerda e após conversar com deputados que defendem minha candidatura, decidi não disputar a eleição para a presidência da Câmara”, escreveu Lira.

O PP agora deve consolidar seu apoio a Maia juntamente com MDB e PTB. Segundo Lira, essa decisão deve ser definida somente após a reunião da bancada, prevista para hoje. Já o líder do PTB, Jovair Arantes (GO), afirmou que as legendas vão integrar o bloco pró-Maia. “Nós vamos nos reunir, mas estamos juntos com o MDB e PP no bloco pró-Maia”, disse.

Os partidos negociam a definição de espaços estratégicos na Casa. O PP, por exemplo, deve ter uma vaga na Mesa Diretora. Já o MDB negocia ficar com uma suplência na Casa.

Da Redação, com informações da revista IstoÉ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *