Bolsonaro segue sem compromissos oficiais. Confira outras informações na coluna JPM desta sexta-feira (08)

 

O presidente Jair Bolsonaro segue sem compromissos oficiais em sua agenda nesta sexta-feira (8). Ele está internado desde o dia 27 de janeiro no Hospital Israelita Albert Einstein, na zona sul de São Paulo, onde fez cirurgia para reconstrução do trânsito intestinal. A previsão da assessoria de imprensa do Palácio do Planalto é que a coletiva com o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, ocorrerá às 16 horas, mesmo horário da divulgação de novo boletim médico. Na noite desta quarta-feira (6), o presidente foi diagnosticado com pneumonia, após apresentar febre (38ºC). De acordo com o médico responsável pela cirurgia de Bolsonaro, Antonio Luiz Macedo, o quadro é sutil e leve, mas deve fazer com que ele permaneça no hospital de cinco a sete dias.

 

Sítio de Atibaia é confiscado

Ao condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 12 anos e 11 meses de prisão, a juíza federal Gabriela Hardt também mandou confiscar o sítio Santa Bárbara, em Atibaia, pivô da nova sentença contra o petista. Segundo a magistrada, a lei de lavagem de dinheiro prevê a “perda, em favor da União, dos bens e valores relacionados, direta ou indiretamente, à prática dos crimes”.

 

Apelo na Corte

Em carta enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF), secretários da Fazenda de nove Estados pediram a aprovação de proposta que permite a redução de salário e carga horária de servidores públicos. O julgamento da ação que trata do assunto está marcado para 27 de fevereiro.

 

Jogo na Previ

A maior parte de seu esforço político do governo Jair Bolsonaro está voltado para a aprovação da Reforma da Previdência. Mudar regras para a concessão de aposentadorias de trabalhadores da iniciativa privada, servidores públicos e militares está em pauta, apesar de o texto com as mudanças ainda não ser conhecido. Entre declarações de ministros, polêmicas e uma minuta de reforma vazada na imprensa, já é claro que o governo tem certo alguns pontos como fixação de uma idade mínima para pedir benefícios – acabando assim com a aposentadoria por tempo de contribuição –, a criação de um novo regime com base na capitalização e a tentativa de unificar a regra entre o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o serviço público.

O principal argumento do Planalto é o rombo que as aposentadorias causam nas contas públicas. No ano passado, o déficit da Previdência subiu 8%, chegando a 290,2 milhões de reais. Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, a economia gerada pelo projeto deve ser de 1 trilhão de reais em dez anos.

 

Racha

O tema sobre a Reforma da Previdência, tem provocado ruído entre a equipe econômica e o presidente. Segundo o vice, general Hamilton Mourão, Bolsonaro é contra que as mulheres tenham a mesma idade para se aposentar que os homens, proposta que é defendida por Paulo Guedes.

 

Deputados pedem criação de duas CPIs

Deputados recém-empossados protocolaram na Mesa Diretora da Câmara dois pedidos de instauração de comissões parlamentares de inquérito (CPIs). São solicitações de investigação sobre o rompimento da barragem de Brumadinho (MG) e contratos do BNDES. Um dos pedidos foi registrado pelo deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP) com o objetivo de auditar contratos internacionais firmados pelo governo brasileiro nos últimos anos.

 

Tabelamento do frete

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), voltou a determinar nesta quinta-feira a paralisação dos processos de instâncias inferiores que suspendiam a aplicação da tabela de frete rodoviário até o julgamento final de ação sobre o assunto.

 

Inflação recuou para o consumidor

Dados divulgados nesta sexta-feira (08) pela Fundação Getúlio Vargas revelam que o Índice de Preço ao Consumidor – Semanal (IPC-S) subiu 0,53%, 0,04 ponto percentual abaixo da taxa registrada na última divulgação. Na apuração, duas das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição para a desaceleração do índice partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação (3,13% para 1,73%). Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item cursos formais, cuja taxa passou de 5,79% para 4,10%.

 

Frase do dia

“A escolha do administrador regional pelo processo popular é uma reivindicação dos moradores do Distrito Federal, que almejam participar do processo de seleção daqueles que vão representar uma RA”, diz o secretário-chefe da Casa Civil do DF, Eumar Novacki, na justificativa do projeto que será analisado pela Câmara Legislativa do DF e propõe a eleição para os administradores regionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *