Tasso diz que clima no Senado “é favorável” à Reforma da Previdência

O senador Tasso Jereissati (PSDB) afirmou que o clima no Senado Federal quanto à reforma da Previdência “é extremamente favorável”. Contudo, ele não quis dar opinião sobre o projeto antes de “estudar direitinho”. As declarações foram feitas em encontro de Tasso com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, que visitou ontem uma série de empreendimentos na serra da Ibiapaba.

Ao comentar sobre a reforma da Previdência, Jereissati opinou apenas sobre a idade mínima apresentada pelo governo, que classificou como “razoável”. A proposta que será enviada ao Congresso prevê idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres. Contudo, afirmou que é “um programa muito complexo”.

Segundo o senador, a previsão é que os parlamentares recebam o projeto na próxima quarta-feira, 20. “Aí sim vamos nos debruçar, estudar com muito cuidado”, afirma. Contudo, mesmo sem conhecer a proposta completa, ele considera o clima no Senado “extremamente favorável” para receber a matéria.

“Há uma consciência nacional. A gente quer é que ela preserve direitos e tire privilégios. (É preciso que) Toda necessidade que nós temos de rearrumar a situação fiscal seja (resolvida) tirando privilégios e não prejudicando quem não os tem”, explica o senador.

A crise institucional que atravessa o Governo Bolsonaro, no entanto, pode atrapalhar a tramitação da matéria. Tasso afirma que o “bate cabeça entre membros do governo” está “preocupando” o Congresso. “Nós estamos arrumados no Senado, prontos para receber a proposta e a gente vê o governo desarrumado, sem ter uma organicidade”, critica.

Dentro do Senado, o cearense deve ter papel central na discussão sobre a Previdência. Jereissati deve comandar uma subcomissão do Senado sobre o tema. “O presidente Davi (Alcolumbre) me convidou para fazer uma comissão especial de acompanhamento da Previdência, acompanhando o que está acontecendo na Câmara”, explica. Além da subcomissão, o tucano integrará as comissões de Constituição e Justiça e de Assuntos Econômicos.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), confirmou a escolha de Tasso. O Senado deve formar um grupo de sete parlamentares, que funcionaria como um colegiado atrelado à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, para fazer “sugestões” aos deputados durante a primeira etapa de tramitação do projeto no Congresso. Na avaliação de Alcolumbre, esta subcomissão vai “queimar etapas” para que o texto chegue mais “arredondado” no Senado e, assim, seja apreciado com mais celeridade.

A indicação de Tasso Jereissati para a presidência dessa subcomissão premia o tucano, que foi um de seus principais aliados na disputa contra o senador Renan Calheiros (MDB) pelo comando da Casa. Além disso, Alcolumbre quer aproveitar a experiência de Jereissati à frente das discussões da reforma da Previdência aprovada pelo Senado em 2003, durante o primeiro governo do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT).

Fonte: O Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *