PRESSÃO POLÍTICA: Bolsonaro estuda nomeações em troca de apoio na Reforma da Previdência. Confira outras informações na coluna JPM desta segunda-feira(11)

INDICAÇÕES POLÍTICAS

O  presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM),recebeu o sinal verde do presidente Jair Bolsonaro  para organizar e encaminhar para ele os pedidos de nomeações para o segundo escalão do governo nos Estados. A decisão foi tomada após pressão por parte da cúpula do Congresso”Estou otimista”, comentou Maia. Ele vinha reclamando da decisão do Planalto de rejeitar as  indicações políticas.No sábado ocorreu o  primeiro encontro de Bolsonaro com Maia para a articulação política não só dos partidos da base aliada ao governo como também de siglas que, mesmo não sendo da base, apoiam a reforma.

 

CCJ

Com a volta dos trabalhos no Congresso Nacional após o Carnaval, o presidente da Casa pretende instalar a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para analisar a proposta da reforma previdenciária. Contudo, partidos de oposição planejam dificultar o início dos trabalhos na comissão.

 

MUTIRÕES

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban), em parceria com órgãos de defesa do consumidor (Procons) de todo o país, realiza, a partir de hoje (11), mutirões para negociação de dívidas. A ação ocorre na semana em que se comemora o Dia Mundial do Consumidor, 15 de março.Segundo a Federação, os mutirões são eficazes porque cerca de 80% das pessoas que participam dessas ações chegam a um acordo com os bancos.

 

 

AGENDA

O presidente Jair Bolsonaro e o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benitez, reúnem-se amanhã (12), em Brasília. O paraguaio faz a visita oficial acompanhado por uma comitiva de ministros. Segundo Abdo, vai conversar sobre a renegociação do Anexo C do Tratado de Itaipu, temas de segurança de fronteira e cooperação comercial.Autoridades brasileiras informaram que também está em pauta a construção de duas pontes  ligando Brasil e Paraguai.

DEMANDAS

Uma força-tarefa, reunindo 20 profissionais, no âmbito da Advocacia-Geral da União (AGU) vai acompanhar as demandas judiciais relacionadas às discussões e aos debates da reforma da Previdência. A Portaria número 180, instituindo o grupo, está publicada no Diário Oficial da União de hoje (11).O grupo terá o nome de “Força-Tarefa de Defesa da Nova Previdência Social – PEC 6/2019” e sua atuação será preventiva

 

BALANÇO LAVA JATO

Dia 17 deste mês, a Operação Lava Jato completará cinco anos. A Polícia Federal recuperou 14 bilhões de reais de empresas e executivos criminosos. Mais de 500 pessoas foram acusadas, houve mais de 130 denúncias criminais e cerca de 50 sentenças. As penas de prisão somam mais de 2 mil anos. Só em Curitiba, sede da primeira operação, foram 1 mil mandados de busca e apreensão cumpridos em 60 fases, com 155 pedidos de prisão preventiva atendidos pelo Judiciário.

 

LAVA TOGA

O senador estreante Alessandro Vieira, PPS-SE quer  retomar  os trabalhos, o pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar os tribunais superiores de Justiça, no momento arquivado. O pedido da CPI da Lava-Toga, como ficou mais conhecida, foi protocolado na primeira semana de fevereiro, com as 27 assinaturas minimamente necessárias.

 

CRÉDITO  RURAL

A contratação de crédito rural entre julho e fevereiro alcança R$ 101,612 bilhões, ou 53% do total ofertado. O valor é 11% superior ao total financiado em igual período do ano anterior, informa o Ministério da Agricultura. No caso da agricultura familiar, a contratação soma R$ 17,87 bilhões, equivalente a 67% do volume disponibilizado e 21% acima do que foi contratado em igual período da temporada anterior.Conforme a pasta, custeio, comercialização e industrialização somam R$ 79,42 bilhões em contratações. O valor do custeio foi de R$ 57,15 bilhões. Em seguida, o maior volume é o de investimentos, de R$ 22,18 bilhões.

FRASE DO DIA

“O programa programa que altera o Mais Médicos vai voltar para atender o Brasil profundo que precisa, é lá que temos que atender. É reconhecer a dificuldade da cidadezinha do interior do Agreste de Pernambuco, do interior do Acre, é lá que temos que atuar e é lá que vamos atuar”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta nesta segunda-feira(11).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *