RECADO: Sérgio Moro diz que veículos da imprensa fazem campanha ”a favor da corrupção”. Confira outras informações na coluna JPM desta terça-feira (16)

 BEIRANDO O RIDÍCULO

 

Esquenta o noticiário nacional nesta terça-feira(16). O ministro da Justiça, Sérgio Moro, subiu o tom contra a imprensa em uma mensagem publicada no Twitter,quando  acusou veículos de comunicação de fazerem campanha “contra a Lava-Jato e a favor da corrupção”.”Sou grande defensor da liberdade de imprensa, mas essa campanha contra a Lava-Jato e a favor da corrupção está beirando o ridículo. Continuem, mas convém um pouco de reflexão para não se desmoralizarem. Se houver algo sério e autêntico, publiquem por gentileza”, escreveu o ministro. A declaração do ex-juiz federal ocorre no mesmo dia em que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, convocou procuradores da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba para prestarem esclarecimentos em Brasília.

 ENCONTRO FATAL
Dodge deve receber Deltan Dallagnol e outros integrantes do Ministério Público Federal (MPF) na tarde desta terça. Nas denúncias mais recentes, publicadas pela Folha de S. Paulo e pela rádio BandNews, Dallagnol é acusado de montar um esquema para criar empresas ou usar firmas de parentes para gerir recursos de cursos e palestras dele e de outros integrantes do Ministério Público.
 
RUÍDOS
Além disso, de acordo com a rádio, Deltan teria solicitado dinheiro da Justiça Federal para Sérgio Moro. Os recursos, no valor de R$ 38 mil, seria para uma campanha publicitária. Tanto Moro quanto Dallagnol negam irregularidades e dizem não reconhecer a autenticidade das mensagens

 

AGENDA
O presidente Jair Bolsonaro participa hoje (16), no Palácio da Alvorada, em Brasília, da 16ª Reunião do Conselho de Governo. Periodicamente, o alto escalão se reúne para avaliar as ações desenvolvidas e discutir as prioridades da agenda do governo federal. 
BOM HUMOR
Hoje pela manha, questionado pela imprensa se a decisão sobre indicar o próprio filho para o cargo já havia sido tomada, o presidente Jair Bolsonaro brincou: “Eduardo fala inglês, espanhol e frita hambúrguer também.”
GARANTIA
O porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro “buscará um alinhamento ideológico” ao escolher nomes para as duas vagas que serão abertas no Supremo Tribunal Federal (STF) durante o seu mandato.

 

PROPOSTA PARALELA

Em entrevista ao Jornal da Manhã desta terça-feira (16)o secretário de Estado da Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles, acredita que os estados e municípios devem ser reincluídos na reforma da Previdência a partir de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) paralela ao proposta que atualmente tramita na Câmara dos Deputados e deve ser votado em segundo turno em agosto. Segundo ele, a expectativa é que se aprove o texto atual e, depois, o Senado Federal crie seu próprio projeto para estados e municípios e o envie para aprovação.

MAIS REFORMA

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão,  está defendendo a a realização de uma reforma política no Brasil. De acordo com ele, o Congresso Nacional brasileiro é muito fragmentado e tem muitos partidos, alguns com baixíssima representatividade e que, por isso, às vezes é difícil encontrar consenso e aprovar matérias de relevância para o país.

 

SOBE E DESCE

Até o final da votação da reforma da Previdência, funcionará um termômetro de variação diária, apontando o percentual de aumento e diminuição do apoio de parlamentares ao projeto.

 

MOTIVOS PESSOAIS

Em mais um capítulo na sucessão da Procuradoria-Geral da República (PGR), o coordenador do grupo de trabalho da Operação Lava-Jato na PGR, José Alfredo de Paula, pediu exoneração do cargo e deixou a função a dois meses do fim da atual gestão da procuradora-geral, Raquel Dodge. Anteriormente, o procurador já havia sinalizado que ficaria no cargo até setembro, quando a atual gestão acaba, mas resolveu antecipar sua saída oficialmente por motivos pessoais.

CADASTRO POSITIVO

A expectativa é que as informações positivas, como contas pagas de telefone e fornecedores, por exemplo, ajudem a liberar mais crédito no mercado, em especial para as micro e pequenas empresas. Segundo um estudo da Serasa Experian, 2,5 milhões de micros, pequenas e médias empresas brasileiras, que hoje estão fora do sistema financeiro devido à insuficiência de informações sobre seus históricos de endividamento e de pagamentos de compromissos em dia, passarão a ter acesso ao crédito no país, com a inclusão automática no novo sistema.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *