COMPORTAMENTO ELEITORAL:Governadores e prefeitos de capitais pressionam por mais crédito com o aval da União. Confira mais informações na coluna JPM desta sexta-feira(14)

ESTRATÉGIA 2020
Como sempre, em ano de eleições, governadores e prefeitos de capitais têm pressionado o Palácio do Planalto  para assegurar  que a União seja avalista de um limite maior de empréstimos que Estados e municípios possam tomar no mercado. O  argumento é de quer a aprovação federal é vital importância para que os c´redito sejam obtidos com  com juros menores. Os recursos podem ser usados, por exemplo, para tocar projetos de infraestrutura. A equipe econômica, porém, resiste em ampliar o valor do teto de empréstimos com o seu aval, por causa do volume de calotes que teve de assumir nos últimos anos. Caso o Estado ou município não pague a prestação, o Tesouro honrará a dívida. Olha o perigo!!

 

TROCA

Nova dança das cadeiras. O Diário Oficial da União                                                                                                                 desta sexta-feira , raz a nomeação do general Walter Souza Braga Netto como ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República e do ministro Onyx Lorenzoni, que substitui Osmar Terra, no Ministério da Cidadania.

DE NOVO
Nova pesquisa realizado pela FSB e pela revista Veja,, mostra  que, se a votação fosse hoje, o presidente Jair Bolsonaro ganharia dos principais nomes cogitados para a disputa, com exceção do ministro da Justiça, Sergio Moro.
 
SEM INFORMAÇÃO
Criticado por ter dito que o dólar alto não era um problema porque estava na hora de acabar com a festa das empregadas domésticas indo à Disney, o ministro da Economia, Paulo Guedes, tem evitado  falar com a imprensa  em Brasília.
ALA CRÍTICA
Uma ala do Supremo Tribunal Federal (STF), mais crítica à Operação Lava Jato, pretende usar a delação do ex-governador do Rio Sérgio Cabral (MDB) para rever o atual entendimento da Corte que permite que delegados de polícia fechem acordos de colaboração premiada.A delação, sob sigilo, envolve ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e políticos
SUGESTÃO POLÊMICA
VERBA FORTE
Caiu mais um na Esplanada dos Ministérios. A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, exonerou seu subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração, Paulo Roberto de Mendonça e Paula. A saída foi confirmada pela edição desta sexta-feira do Diário Oficial da União. Mendonça foi o responsável por assinar um contrato de R$ 7 mi com uma empresa de tecnologia que seria usada como laranja para desvio de dinheiro público.

DEMORA

A coluna informa  que o  Senado trata com lentidão  o projeto que limita o uso de jatinhos da Força Aérea Brasileira por autoridades do governo federal, familiares e amigos

 

 

 

METODOLOGIA

“Brasília, 12 + 1 de fevereiro, 19h”, assim  Bolsonaro começou sua habitual live ontem O número 13, que o presidente se negou a falar, identifica o Partido dos Trabalhadores (PT), principal partido de oposição ao governo.

ECONOMIA

A taxa média de desemprego fechou 2019 em queda em 16 estados, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios–Contínua (Pnad-C), divulgada hoje (14), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

IBGE

A menor taxa média anual de desemprego ficou com Santa Catarina: 6,1%.Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso aparecem em seguida, todos com 8%. Já os maiores percentuais foram observados no Amapá (17,4%) e na Bahia (17,2%).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *