Bolsonaro ganha tempo e mantém general ‘linha dura’ no comando do Ministério da Saúde.Confira outras informações na coluna JPM desta segunda-feira (18)

BASTIDORES

Com a saída do ex-ministro Nelson Teich, o discurso no Palácio do Planalto é de que Jair Bolsonaro deve manter o general Eduardo Pazuello interino por um tempo para que o presidente escolha sem precipitação o novo ministro da Saúde. Nos bastidores, porém, auxiliares do presidente admitem que a ideia seja que Pazuello assine a mudança no protocolo da cloroquina – como quer Bolsonaro – pois o governo tem sido alertado de que nenhum médico de renome concordará com a ideia.

 

 

APURACÃO

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu para que a Polícia Federal colha depoimento do empresário Paulo Marinho (PSDB-RJ) sobre a denúncia feita por ele de vazamento de informações sigilosas ao senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Em ofício encaminhado pelo procurador João Paulo Lordelo Guimarães Tavares à delegada Christiane Correa Machado, do Serviço de Inquéritos Especiais no Supremo Tribunal Federal, a PGR também solicita a oitiva de Miguel Ângelo Braga Grillo, chefe de gabinete de Flávio.

TÔ NEM AI!

A operação teve acesso a dados de movimentações financeiras de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio, quando o filho do presidente Jair Bolsonaro era deputado estadual. As novas diligências serão realizadas no âmbito das apurações sobre tentativa de interferência política na PF, por Jair Bolsonaro, iniciadas com base em acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça Sérgio Moro. Enquanto isso o presidente continua a jogar lenha na fogueira com suas declarações polêmicas.

SEM RECESSO

Alguns parlamentares até chiaram, mas não teve jeito. Diferente de anos anteriores o Senado não terá recesso em julho. O presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM) disse que o Legislativo precisa continuar trabalhando para amenizar os efeitos negativos da pandemia do covid-19. Conforme previsão constitucional (art.57), a sessão legislativa é realizada de 2 de fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro. Os dias compreendidos entre esses dois períodos configuram o recesso parlamentar.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Quando o assunto é eleição municipal é comum vermos prefeitos, vereadores e pretensos pré-candidatos roendo as unhas. A Covid-19 chegou e jogou um balde de água fria no calendário eleitoral e já se fala até em prorrogação de mandatos. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o limite para adiar as eleições é o 1º fim de semana de dezembro. Até lá, está tudo mantido.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS (2)

O Tribunal Superior Eleitoral não vai dar trégua aos internautas que publicarem fake News sobre as eleições a partir de agora. O TSE já conta 49 instituições da sociedade civil comprometidas na força-tarefa de combate a notícias falsas sobre o próximo pleito, inicialmente agendado para outubro. Se nada mudar, as convenções começam a ser realizadas na primeira semana de agosto.

ARREPENDIMENTO TARDIO

O ex-presidente Fernando Collor de Mello pediu desculpas, nesta segunda-feira (18), pelo confisco de parte do saldo de cadernetas de poupança e contas-correntes em março de 1990. Em uma sequência de publicações na rede social Twitter, Collor afirmou que a decisão – que classificou como dificílima – foi tomada na tentativa de conter a hiperinflação de 80% ao mês. “Os mais pobres eram os maiores prejudicados. Perdiam seu poder de compra em questão de dias. Pessoas estavam morrendo de fome”, disse o ex-presidente, hoje senador por Alagoas.

IMPOSTO ZERO

O presidente Jair Bolsonaro está mesmo disposto a fazer com que os médicos brasileiros receitem a Hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19. Ele usou as redes sociais para comunicar que o governo zerou os impostos sobre medicamentos em fase de testes para o combate ao novo coronavírus. Além desses, outros 100 fármacos também tiveram seus impostos retirados. Segundo Bolsonaro, a intenção é auxiliar nos estudos ao combate ao vírus.

 

 

ECONOMIA

O mercado financeiro continua a revisar a estimativa de queda da economia neste ano. Pela 14ª semana seguida, piorou a expectativa do mercado financeiro para o recuo do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Desta vez, a previsão de queda passou de 4,11% para 5,12%. A estimativa consta do boletim Focus, publicação divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos. A previsão para o crescimento do PIB em 2021 segue em 3,20% e para 2022 e 2023 continua em 2,50%.

EFEITO COVID

O Ibovespa subiu mais de 4% com exterior positivo na tarde desta segunda-feira (18) e o dólar caiu quase 2% para R$ 5,72. Muito mais otimistas foram as ações da Moderna, empresa que anunciou estar bem próxima de anunciar a descoberta da vacina contra a Covid-19. As ações do laboratório americano subiram 240% no período anual encerrado no fechamento do pregão de sexta-feira (15) o que fez o preço das ações dispararem 25%.

DOU LHE UMA…

O Plenário do Senado vota nesta terça-feira (19) uma medida provisória que facilita a venda de imóveis da União. Também estão na pauta três projetos de lei que buscam minimizar os efeitos da pandemia de coronavírus. O texto autoriza ao governo a conceder abatimento de 25% sobre o valor inicial do imóvel à venda já na segunda tentativa de leilão. A legislação anterior só autorizava um desconto de 10% para imóveis avaliados em até R$ 5 milhões após a terceira tentativa. Negócio de ocasião para quem uma graninha guardada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *