Ex-ministro Sérgio Moro depõe à Justiça Federal em ação sobre invasão de celulares

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro depôs nesta quarta-feira (08) à Justiça Federal, em Brasília, na ação penal da Operação Spoofing, que apura a invasão de celulares de autoridades.Moro  teve o celular invadido por hackers em junho do ano passado, ainda como ministro da Justiça. Ao juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal, Moro disse que os hackers buscavam informações confidenciais.

“Fui atacado na condição de ministro da Justiça e Segurança Pública, seja para capturar mensagens do meu período de juiz federal ou na atuação de ministro da Justiça. Na condição de ministro da Justiça, atacado por hackers que provavelmente buscavam informações confidenciais, eu fiz a representação”, afirmou.

Moro ainda afirmou que usava o aparelho invadido para realizar comunicações do governo. “Mesmo na época que eu era juiz, eu usava também esse celular para me comunicar. Claro que comunicações que precisavam ser formalizadas eu fazia no papel. Mas usava esse celular para assuntos de governo e ministério”, disse.

O ex-ministro também afirmou que jamais influenciou as investigações da Polícia Federal. “Eu não tinha acesso ao inquérito. Era só um acompanhamento do andamento do trabalho. Além da posição de vítima, tinha essa situação envolvendo segurança nacional”, explicou.

Segundo Moro, as atualizações eram “geralmente” informadas pelo então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo.

Operação Spoofing

A Operação Spoofing investiga a interceptação de mensagens de autoridades, como o presidente Jair Bolsonaro, o ex-ministro Sérgio Moro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e os procuradores da Operação Lava-Jato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *