Empresários ligados ao MBL são presos em operação contra lavagem de dinheiro

Dois empresários ligados ao Movimento Brasil Livre (MBL) foram presos na manhã desta sexta-feira (10) sob a acusação de desviarem mais de R$ 400 milhões de empresas: Carlos Augusto de Moraes Afonso, conhecido nas redes sociais como Luciano Ayan, e Alessander Mônaco Ferreira. A Operação Juno Moneta foi desencadeada pela Polícia Civil, pelo Ministério Público Estadual e pela Receita Federal em São Paulo.
Além das duas ordens de prisão, os agentes cumprem seis mandados de busca e apreensão na capital paulista, na sede do movimento, e em Bragança Paulista. Eles são investigados por lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio. Fundador do movimento, o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) foi ao Twitter e negou que os dois presos tenham integrado os quadros do MBL.

O MBL foi criado em 2014 e teve papel de destaque nas manifestações em favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e de combate à corrupção. Desde o ano passado, quando rompeu com o presidente Jair Bolsonaro, o grupo tem feito críticas ao atual governo. Ainda não foram divulgados os detalhes das práticas criminosas atribuídas pelos investigadores à dupla.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *