Embaixador americano responde a Bolsonaro postando vídeo sobre forças dos EUA

DIPLOMATA DA BALA

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, publicou no Twitter um vídeo exaltando o poder bélico dos fuzileiros navais norte-americanos. A publicação ocorreu horas após o presidente Jair Bolsonaro falar em “usar pólvora”, ao se referir às críticas do presidente eleito dos EUA, Joe Biden, sobre queimadas na Amazônia. As imagens ressaltam que os “Marines” estão presentes nas embaixadas e consulados do país no exterior, inclusive no Brasil. O vídeo mostra militares desfilando em frente ao Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

COMITÊ CIBERNÉTICO

Diante de novas ameaças de hackers a presidência do Supremo Tribunal Federal decidiu criar o comitê cibernético para enfrentar crimes virtuais contra o Judiciário. O ministro Luiz Fux estabeleceu prazos para que seja fixada uma nova política de gerenciamento de crise para o enfrentamento de crimes virtuais. As medidas determinadas por Fux são uma resposta ao ataque hacker da semana passada que paralisou o STJ (Superior Tribunal de Justiça). Ação semelhante também aconteceu nos ministério da Saúde e da Educação.

EMPODERAMENTO

Um grupo de mulheres negras se reunirá, nesta quinta-feira (12), com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, para tratar da prática de racismo institucional enfrentada na Corte Suprema. O objetivo é reforçar o pedido de averiguação dos fatos e a adoção de providências para coibir novas situações por parte de profissionais da Casa.

DEDO NA FERIDA

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, admitiu, nesta quarta-feira, que a questão relativa ao desenvolvimento das vacinas contra a covid-19 está politizada. “Infelizmente, vocês sabem bem, essa questão está toda politizada. Aí fica ‘é do lado A, é do lado B’. Acho que isso não é bom”, disse a jornalistas. Mourão ainda afirmou: “Na minha visão, a Anvisa tomou a atitude correta, dentro da responsabilidade dela. Uma vez que se esclarecer que realmente o rapaz que, infelizmente, veio a óbito era suicídio, e que o suicídio não tinha nada a ver com alguma consequência psicológica por causa da vacina, retoma-se os testes, como aconteceu com a outra de Oxford. O que não pode é politizar”.

NO COMANDO

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, retornou ao trabalho presencial nesta quarta-feira, 11, após enfrentar a covid-19, mas disse ainda sentir efeitos da doença. “Não estou completamente recuperado, é claro. É uma doença complicada. É difícil você voltar ao normal, mas a gente já consegue trabalhar um pouquinho. É o primeiro dia de atividade no trabalho”, disse Pazuello em cerimônia no ministério. A última aparição pública de Pazuello ocorreu 20 dias antes, quando participou de uma transmissão nas redes sociais ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

RACHADINHAS

Quem promete uma nova onda de polêmica é o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele enviou à Procuradoria Geral da República (PGR) uma notícia crime contra o presidente Jair Bolsonaro por suposto envolvimento do governo na defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), acusado de chefiar um esquema de rachadinha no Rio de Janeiro. O procedimento, que é padrão, pode resultar em responsabilização penal. A ação apresentada no Supremo contra Bolsonaro foi protocolada pela deputada Natália Bonavides (PT-RN).

SEGUNDA ONDA

Wilson Dias/Agência Brasil

A Covid-19 tem tirado o sono das autoridades aqui em Brasília. Com a taxa de infecção mais alta do país, o DF corre risco de enfrentar uma segunda onda da doença. Estudo divulgado na terça-feira aponta que 22% da população de Brasília foi invectada pelo novo coronavírus. Os pesquisadores analisam os registros de mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), principal causa de falecimento da covid-19, comparam com anos anteriores e somam o excedente aos óbitos dentro da pandemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *