Bate-boca entre Renan Calheiros e advogado de Fakhoury interrompe sessão

A sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, desta quinta-feira (30/9), que ouve o empresário bolsonarista Otávio Fakhoury, foi suspensa após uma discussão entre o relator Renan Calheiros (MDB-AL) e o advogado do depoente.

Renan questionava Fakhoury sobre a doação de dinheiro para material de divulgação de campanha do presidente Jair Bolsonaro, em 2018. “Durante a campanha, o presidente estava acamado, as pessoas, por livre e espontânea vontade, imprimiam seu material e saiam para as ruas. Esse valor relatado no inquérito foi uma ajuda para grupos que estavam imprimindo o próprio material como todo o Brasil fez, camisetas, bottons, etc. Eram grupos grandes, nos quatro estados, me pediram se poderia ajudá-los e assim o fiz”, detalhou o empresário.

Ao dizer isso, o relator comentou: “Bancou material de divulgacão na campanha à Presidência em 2018, mas sem declarar à justiça eleitoral”. Fakhoury disse que “nunca foi solicitado por ninguém da campanha para ajudar a pagar nenhum material” e que havia declarado toda a movimentação financeira com fins políticos, mas ressaltou que, naquele caso, não era uma ajuda a uma campanha especificamente.

Com a insistência de Calheiros em refazer a pergunta, o depoente confirmou que ajudou a financiar material de divulgação de campanha, mas fez a ressalva de que era de acordo com as suas explicações.
O advogado Antonio Manssur interferiu, então, em defesa, do depoente dirigindo-se a Renan Calheiros no sentido de repreendê-lo pela insistência. Afirmou que foram à CPI com “respeito”, mas que o relator já tirava conclusões sem ouvir Fakhoury.

“Foi feita uma afirmação e ele tem o direito de responder. Se não fica só a sua afirmação e ele fica sem o direito de se defender. Essas são as suas conclusões. O senhor tem que fazer as suas conclusões no seu relatório, e não aqui”, sustentou o advogado. Nesse momento, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da mesa, decidiu interromper a reunião por alguns minutos.

“Nunca fui solicitado por ninguém da campanha ajuda para nenhum material”, continuou Fakhoury. “ Da forma que respondi, confirmo”, insistiu.

 Da redação com o Correio Braziliense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *