CPI da Covid-19 será prorrogada até outubro, diz Omar Aziz

O presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), declarou, neste domingo (11/7), que o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), vai prorrogar a comissão de inquérito até outubro. Aziz deu a declaração em entrevista à CNN Brasil.

A CPI da Covid estava marcada para terminar no dia 7 de agosto. Caso a extensão seja confirmada, o colegiado funcionará por mais 90 dias.

Aziz ainda disse que o presidente do Senado Federal quer manter o recesso parlamentar caso a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) seja votada. A sessão para analisar a proposta está marcada para quinta-feira (15/7). A pausa nos trabalhos do Legislativo iria de 18 a 31 de julho.

Ao Metrópoles, o vice-presidente do Senado Federal, Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), já havia defendido a prorrogação dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid. O senador afirmou que o colegiado apura, hoje, denúncias “mais graves do que o fato que determinou sua instalação, em janeiro”.

Na ocasião, como justificativa para a instalação da comissão, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do primeiro requerimento, defendeu a necessidade de investigação de possíveis omissões e negligências cometidas pelo governo federal no enfrentamento da pandemia de Covid-19, em especial no colapso sanitário registrado em Manaus (AM).

Pressão

Na sexta-feira (9/7), o relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), mandou um recado a Pacheco e cobrou apoio do presidente da Casa aos trabalhos do colegiado.

O senador disse que a comissão não tem o apoio explícito de Pacheco. “Temos tidos dificuldades no encaminhamento das demandas, não da CPI, mas da própria investigação”, disse.

Calheiros ainda fez um “apelo” a ele: “Apelo ao presidente do Senado para que, definitivamente, apoie os trabalhos, porque nós vamos adiante”.

Após a fala de Calheiros, Pacheco reagiu e declarou que “não considera justa” a manifestação do relator.

“A CPI, como órgão do Senado, recebeu todo o meu apoio, inclusive material. Não há, de minha parte, qualquer interferência, eu não me permito interferir. Acredito que é um bom préstimo que faço para que a CPI cumpra seu papel, de maneira isenta, porém respeitosa. Espero que o resultado [das investigações] seja um resultado justo a partir de uma apuração independente”, disse.

Da redação com o Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *