Agressão à deputada Joice Hasselmann continua um mistério

Por 

SURREAL

Os hematomas no rosto da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) se assemelham a cena de filme de terror, ou algo paranormal. Ao menos é o que ela deixou transparecer nesta sexta-feira ao prestar depoimento à Polícia Legislativa sobre as lesões que sofreu em seu apartamento funcional, na Asa Sul. A parlamentar afirma ter dormido durante sete horas, e quando acordou, estava em volta em uma poça de sangue.

SURREAL (2)

Exames realizados em um hospital da capital apontaram cinco fraturas, além de um corte no rosto da congressista e uma lesão nas costelas. Violência doméstica ela descartou. “O meu marido é o tipo de homem que puxa a cadeira para eu me sentar, abre a porta do carro e me espera na porta de casa com uma taça de champanhe. Ele é um príncipe, incapaz de dar um tapinha no meu gato para assustá-lo”, disse Joice. O mistério continua!

VOTO IMPRESSO

Em meio ao “disse me disse” entre poderes, o presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar que a população não aceitará as eleições de 2022 sem o voto impresso. O presidente comparou os eleitores a um “exército” e voltou a criticar o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luis Roberto Barroso. Ele afirmou também que o Brasil não pode aceitar que aqui ocorra o mesmo que em outros países, como Cuba. “Eleição fraudada não é eleição, isso não é democracia”, alegou, ao conversar com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada nesta sexta-feira.

VOTO IMPRESSO (2)

O presidente Jair Bolsonaro repetiu que Barroso tem interesse nas eleições do próximo ano. “Qual o interesse dele? Ele tinha que ser o primeiro a dizer: presidente, o voto impresso é mais uma segurança”, e dar um motivo qualquer para não ter. Não essa desculpa esfarrapada de “não tem dinheiro”. O dinheiro quem trata sou eu, não é ele. Não vai faltar dinheiro para comprar a maquininha para imprimir o voto do lado ali”, completou.

VOTO IMPRESSO (3)

Se o problema for dinheiro, Jair Bolsonaro garantiu que pode incluir R$ 2 bilhões no orçamento para o voto impresso. Segundo o presidente, recursos seriam destinados à compra de impressoras a serem acopladas às urnas eletrônicas. Comissão da Câmara deixou para agosto a votação da PEC do voto impresso. Adiamento representou vitória para os defensores da proposta, que temiam uma derrota caso a matéria fosse votada. O projeto enfrenta resistência no Congresso como um todo.

FILIAÇÃO

Por falar em eleição, O presidente Jair Bolsonaro contou que sua filiação ao Progressistas é uma “possibilidade”. Ele destacou, ainda, que gostaria de ir para um partido sobre o qual tivesse domínio, mas disse que isso “está difícil”. “Tentei e estou tentando um partido que eu possa chamar de meu e possa, realmente, se for disputar a Presidência, ter o domínio do partido. Está difícil, quase impossível. Então, o PP passa a ser uma possibilidade de filiação nossa”, relatou. Porém, o presidente afirmou que ainda não tem nenhum partido certo para ingressar. “Infelizmente, ainda não tenho. Gostaria de tê-lo, mas por enquanto não apareceu nenhum partido. A busca de um partido é algo bastante normal.”

FALOU DEMAIS

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou, nesta sexta-feira, que os eleitores do presidente Jair Bolsonaro podem se sentir “confusos” com a aliança cada vez mais profunda entre ele e os blocos de centro. O general também comentou a declaração de Bolsonaro na quinta quando afirmou: “Eu sou do Centrão”. Para o presidente Jair Bolsonaro, “o eleitor que vota em Bolsonaro, que é uma parcela de 25%, 30% da população, ele olha a pessoa independentemente do partido em que ele está”. Certamente, essa declaração vai distanciar ainda mais Bolsonaro de Mourão. Que venham os próximos capítulos.

EM CAMPO

Ciro Nogueira nem assumiu a Casa Civil e já articula com partidos. Ou seja, já entrou em campo. Convidado por Bolsonaro para azeitar a relação entre o Planalto e o Congresso, o senador do PP já iniciou a articulação política. Mesmo de viagem, falou com o presidente do Solidariedade, deputado Paulinho da Força, que não é alinhado ao governo. Paulinho pediu, recentemente, uma frente única contra Bolsonaro em 2022. Pelas redes sociais, frequentemente critica o presidente. Dessa forma, Ciro já mostra ao que veio. Bolsonaro, é claro, está rindo à toa dos críticos do senador progressista. Bem articulado, Ciro chega fazendo a diferença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *